Você ainda acredita que gordura é tudo igual?

Acha que temos que fugir dos alimentos gordurosos para mantermos a nossa saúde?

Pensa que a gordura é um nutriente responsável apenas por nos dar energia física e nada mais?

Pois é, esses são alguns mitos sobre a gordura e hoje estamos aqui para esclarecer direitinho sobre as verdades em relação a este importante nutriente, vamos lá?

O que é gordura?

Conhecida tecnicamente como lipídeo, a gordura é uma categoria de substâncias que obtemos a partir dos alimentos ou que produzimos em nosso próprio corpo.

As gorduras são solúveis em solventes orgânicos e não se dissolvem na água, já que suas moléculas têm uma estrutura com longas cadeias carbônicas que flutuam quando misturadas na água, por conta da baixa densidade.

Quimicamente, as gorduras são sintetizadas pela junção de três ácidos graxos a uma molécula de glicerol, formando um triéster. Elas são classificadas como triglicerídeos, triglicérides ou mais corretamente de triacilgliceróis.

O termo “gordura” se refere aos triglicerídeos em seu estado sólido, enquanto o termo óleo, ao triglicerídeos no estado líquido.

Precisamos de gordura no nosso organismo?

A gordura corresponde de 25 a 30% do peso de um adulto e, para se ter uma ideia de sua importância, o nosso cérebro contém um percentual ainda mais abundante dessa substância, aproximadamente 60%!

A gordura que fica sob a pele, conhecida também como tecido adiposo, acolchoa nossos órgãos vitais, armazena energia e serve como estrutura básica para todos os tecidos vivos.

Além do tecido adiposo, nós precisamos de alguns tipos de gordura para fazer o reparo tecidual e como componentes básicos nos processos químicos, dos quais dependem a geração de energia, o metabolismo, a reprodução e, por fim, a sobrevivência de modo geral.

Para quebrar a longa cadeia de carbono das gorduras, o nosso corpo precisa de uma enzima chamada lipase, que é produzida no pâncreas.

Apesar da gordura ser muito importante para o nosso organismo, nem todas são consideradas benéficas. Portanto, é importante saber o tipo melhor de gordura que você deve inserir na sua dieta, certo?

Quais são os tipos de gordura que existem e como saber se elas são boas ou não para a nossa saúde?

Existem três tipos de gorduras: Insaturadas (que se dividem em monoinsaturadas e poli-insaturadas), Saturadas e Trans, e elas possuem efeitos diferentes no nosso organismo após serem ingeridas.

Gorduras Monoinsaturadas   

São consideradas gorduras boas e podem ser encontradas no abacate, azeite de oliva, óleo de girassol, óleo de semente de abóbora, óleo de gergelim, açaí e frutas oleaginosas, como amêndoas, castanhas e nozes. Quando estão em temperatura ambiente, permanecem em estado líquido, e quando refrigeradas, solidificam. As gorduras monoinsaturadas ajudam a diminuição dos níveis de colesterol LDL no sangue (considerado mau colesterol), sem diminuir os de colesterol HDL.

bigstock-Food-fish-Unsaturated-Fats-52226848

Gorduras Poli-insaturadas

São consideradas gorduras boas por ajudarem a reduzir níveis de colesterol LDL (considerado mau colesterol) e aumentar o HDL (considerado o colesterol bom). Geralmente encontram-se em estado líquido mesmo em temperaturas baixas. São encontradas nos peixes, óleos vegetais e frutas oleaginosas.

Os ácidos graxos ômega 3, que incluem o ácido alfa-linolênico (ALA) – encontrado na linhaça – o ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido docosa-hexaenóico (DHA) – encontrados nos peixes gordurosos – são ácidos carboxílicos poli-insaturados, considerados os tipos de gordura mais benéficas para a saúde humana, já que participam de inúmeros processos químicos importantes em nosso corpo.

Já o ômega 6 pertence a uma família de ácidos graxos poli-insaturados presentes nos óleos vegetais, porém, para que possua qualidade benéfica para a saúde, deve ser consumido através de óleos extraídos por prensagem a frio, garantindo a integridade de todas as suas moléculas.

Quanto ao consumo dos ômegas 6 e 3, é importante saber que esses dois tipos de gordura competem entre si dentro do nosso corpo, dessa forma deve haver um equilíbrio.

A proporção ideal de ômega 6 e 3 no organismo é de 3:1, porém, a alimentação ocidental moderna tem desequilibrado este padrão e hoje podemos ver (des)proporções de 40:1 ou até maiores, o que é um dano generalizado à saúde da população.

Para saber mais sobre isso, confira este post aqui no Blog Eu Bem Melhor que fala exatamente sobre como manter o ômega 6 e 3 em equilíbrio 😉

coco1

Gorduras saturadas

Esse tipo de gordura apresenta-se em estado sólido quando está em temperatura ambiente. É encontrada principalmente em carnes, laticínios, azeite de dendê, óleo e derivados de coco, bacon, banha de porco e óleo de algodão.

Quanto ao consumo das Gorduras Saturadas, há algumas controvérsias sobre o quanto elas são danosas para a nossa saúde, mas de modo geral, a medicina considera que as gorduras saturadas, quando consumidas em excesso e em meio a um estilo de vida nocivo, tendem a se acumular nas nossas veias e artérias, acarretando doenças e aumentando as chances de infarto do miocárdio.

Como há diferentes tipos de gordura saturada, as de origem animal e vegetal, há um consenso de que o consumo mais indicado dessa gordura é o de origem vegetal, como o óleo de coco, por exemplo.

Inclusive, médicos nutrólogos mais atuais defendem o uso da banha de porco e também do óleo de coco no preparo de frituras, considerando que, nesses casos, eles são melhores do que os óleos vegetais poli-insaturados ômega 6, já que são mais estáveis quando expostos a altas temperaturas, enquanto os ômegas 6 podem facilmente ser convertidos em gordura trans quando muito quentes.

Gorduras trans

São geradas através de um processo químico chamado de hidrogenação, no qual os óleos vegetais líquidos são aquecidos e transformados em ácido graxo trans, que é uma gordura sólida. Na indústria de alimentos, eles recebem o nome de gordura vegetal hidrogenada. A indústria se interessa por esse tipo de gordura pois ela ajuda a aumentar a validade do produto, melhora a consistência e o sabor dos alimentos, além de substituir os óleos feitos com gordura animal, porém, as gorduras trans são extremamente maléficas para a nossa saúde pois competem com as gorduras benéficas para ocupar espaço nas membranas celulares, além de causarem estresse oxidativo.

oleo-de-peixe

 

Suplementando com gorduras do bem

Caso você tenha dúvidas sobre a quantidade e qualidade de gorduras que está consumindo em sua dieta, que tal se consultar com um nutricionista? Ele poderá te ajudar a equilibrar todos os nutrientes de que você precisa, podendo até te prescrever algum suplemento caso necessário.

Lembre-se de que o suplemento alimentar ideal deverá ser sempre livre de metais pesados e os óleos devem ser extraídos por prensagem 100% a frio, está bem?

E então, agora você conhece os tipos melhores de gordura para a sua saúde. Não deixe de compartilhar este post e distribuir mais informação em suas redes sociais, afinal, conhecimento é Vital 😉

Abraços e até a próxima!

Fonte:
E-book Vital Âtman – Gorduras do Bem.
O Lado Sadio das Gorduras – Jeannette Ewin