Quando se fala em ômega 3, qual é a primeira coisa que vem a sua cabeça?

Algumas pessoas pensam em linhaça e a maioria pensa em cápsulas, não é mesmo? Até aí tudo bem, pois ele pode ser consumido através de bons suplementos.

Algumas pessoas também sabem que esta substância está presente na natureza em peixes gordos de mares gelados como sardinha, atum, arenque, anchova e salmão selvagem.

O que pouca gente sabe, é que o ômega 3 pode ser consumido através das algas!

Esta é uma opção que está sendo cada vez mais bem vista em países como os Estados Unidos. A gente explica: a produção e extração do óleo de algas não causa impacto negativo no ecossistema e seu óleo não corre o risco de ser contaminado com metais pesados   (o que pode ocorrer em óleos de peixes se estes animais estiverem contaminados por metais pesados presentes no oceano).

Mas o que é o ômega 3 de algas?

algas-conheca-seus-beneficios-2

O ômega 3 representa uma família de ácidos graxos essenciais que não podem ser fabricados pelo nosso organismo. Eles se dividem em três tipos: ácido alfa-linolênico (ALA), ácido eicosapentaenoico (EPA) e ácido docosahexaenoico (DHA).

O óleo de algas contém DHA, responsável por 97% das gorduras ômega 3 no cérebro!

Quando os cientistas e médicos perceberam o quão importante os ácidos graxos ômega 3 são para a saúde, eles começaram a pesquisar outras maneiras de obter esse nutriente que não envolvesse o consumo de peixes.

Uma das formas encontradas foi adicionar o óleo de algas a alimentos, bebidas e suplementos e, como não vem do peixe, é sustentável e serve como uma opção vegetariana.

Só para se ter uma ideia, óleos de cozinha, iogurtes, sucos, leite e barras nutricionais estão sendo enriquecidos com óleo de algas, e podem ser encontrados em alguns países.

Por que óleo de algas?

algas-conheca-seus-beneficios-3

Os óleos de peixe que contêm ômega 3 são compostos predominantemente de ácido eicosapentaenóico (EPA) e ácido docosahexaenoico (DHA). Estes peixes obtêm EPA e DHA comendo algas que possuem ômega 3; quando o peixe consome essas algas, eles concentram altas quantidades de EPA e DHA em seus tecidos.

Quando os benefícios para a saúde do DHA tornaram-se conhecidos e os médicos começaram a recomendar o ômega 3 para seus pacientes, surgiram alguns problemas. Eles verificaram que as pessoas não consumiam a quantidade necessária de peixes de água fria para obter um grama de DHA por dia.  Além disso, os vegetarianos não se sentiam confortáveis em tomar um suplemento que vinha de peixe.

Então, como resolver este problema?

Os pesquisadores perceberam que a resposta era ir até a fonte – as algas. Eles começaram a investigar as algas microscópicas que realmente produzem DHA. Em vez de obter os ácidos graxos dos peixes que se alimentavam das algas, eles começaram a produzir DHA de algas!

Essas algas podem ser criadas em fazendas e geram DHA sustentável e orgânico. É este DHA derivado de algas (chamado de óleo de algas), que está sendo adicionado aos produtos alimentícios citados acima. Assim as pessoas podem consumir a quantidade suficiente de ômega 3 na dieta de forma sustentável, sem preocupação com a degradação do ecossistema.

Pesquisas

Para garantir que as pessoas recebessem ômega 3 de boa qualidade, pesquisadores fizeram estudos para provar que o óleo de algas é tão eficaz quanto os ácidos graxos encontrados em peixes de água fria.

Um estudo publicado no Journal of American Dietetic Association, avaliou os efeitos do consumo de cápsulas de óleo de algas e do óleo de salmão; eles queriam saber se os dois tipos de DHA tinham os mesmos benefícios. Os resultados mostraram que as cápsulas de DHA de óleo de algas e o salmão cozido parecem ser bioequivalentes, ou seja, têm as mesmas propriedades benéficas para o organismo.

Outro estudo científico (publicado pela Critical Reviews em Food Science and Nutrition) descobriu que o óleo de algas serve como uma fonte alternativa eficaz de DHA; estudos mostraram que a ingestão de óleo de algas levou a um aumento significativo do eritrócito no sangue e do DHA no plasma. Isso tem incentivado novos estudos que enfocam as opções vegetarianas para pessoas que precisam de ácidos graxos ômega 3.

Conheça os benefícios do óleo de algas

algas-conheca-seus-beneficios-5

1 – Ajuda na gravidez saudável

O ácido graxo ômega DHA é essencial para o desenvolvimento do cérebro durante a gravidez. Estudos mostraram que quando uma mulher grávida consome ômega 3, o desenvolvimento da criança melhora. A necessidade de ômega 3 aumenta durante este período, pois ele é utilizado para auxiliar no crescimento do cérebro, processo que se torna acelerado especialmente na segunda metade da gravidez.

Um estudo feito pela Harvard Medical School e pela Harvard Pilgrim Healthcare, constatou que o maior consumo materno de DHA durante a gravidez resultou na melhora da memória, reconhecimento visual e maiores índices de inteligência verbal nos bebês e crianças.

Estudos em animais demonstraram que a privação de ácidos graxos ômega 3, presente no óleo de algas, durante a gravidez, está associada a déficits visuais e comportamentais que não podem ser revertidos com a suplementação pós-parto. É por isso que as diretrizes recomendam que as mulheres grávidas consumam pelo menos 200 miligramas de DHA por dia.

2 – Pode melhorar a saúde dos olhos

O cérebro e os olhos são altamente beneficiados pelo ômega 3, que se acumula nesses tecidos durante a vida fetal tardia e neonatal precoce. Uma pesquisa científica feita pela Agência de Pesquisa e Qualidade em Assistência à Saúde (EUA) afirma que “o DHA pode modular a atividade das enzimas ligadas à membrana responsável pela manutenção da função celular destas áreas”.

Outro benefício: segundo o estudo, por ajuda a aliviar a pressão intraocular, cápsulas ômega 3 que contém DHA, podem prevenir a degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Esta doença, que pode deixar a vista embaçada ou levar à cegueira, está relacionada a danos na mácula ou no centro do olho. Isso pode ser causado pelo envelhecimento, má digestão, tabagismo, pressão alta, exposição à radiação UV e uma dieta baixa em vegetais.

3 – Ajuda nas funções cardiovasculares

O óleo de algas pode ajudar a regular os batimentos cardíacos, reduzir a pressão sanguínea, diminuir a formação de coágulos sanguíneos e reduzir inflamações. Isso diminui o risco de ataques cardíacos e derrames.

Este óleo também pode ajudar a reduzir os triglicerídeos e colesterol LDL. Um estudo de 2012 publicado no Journal of Nutrition identificou 11 ensaios clínicos com 485 participantes saudáveis e avaliou a relação entre a suplementação de óleo de algas e fatores de risco de doença cardiovascular.

Os resultados indicam que a suplementação de DHA com óleo de algas pode reduzir os triglicerídeos séricos e aumentar o colesterol HDL.

4 – Pode auxiliar no desenvolvimento e na função cognitiva

O cérebro é feito principalmente de gordura e funciona bem com altos níveis de DHA, que ajudam nos processos de comunicação do cérebro e reduzem a inflamação, o que pode ajudar a retardar o envelhecimento.

O DHA também é necessário para o desenvolvimento funcional do cérebro em bebês e na manutenção da função cerebral normal em adultos. A inclusão de DHA na dieta, pode melhorar a capacidade de aprendizagem, enquanto deficiências de DHA estão associadas a déficits cognitivos.

Outro benefício interessante do óleo de algas (e outros alimentos com DHA) é que eles são capazes de reduzir os sintomas da ansiedade e depressão. O European Journal of Neuroscience publicou, recentemente, um estudo mostrando que o óleo contendo ômega 3 reverteu todas as mudanças de comportamento semelhantes à ansiedade e à depressão induzidas em ratos.

5 – Ajuda na memória

Estudos mostraram que a ingestão mais alta de óleos com ômega 3 pode reduzir significativamente a incidência da doença de Alzheimer, bem como a demência vascular; óleos com as algas também melhoram a qualidade de vida e a memória das pessoas afetadas pela demência.

A doença de Alzheimer é uma desordem cerebral que causa perda de memória, demência e mortalidade precoce. Um estudo de 2012 publicado no Journal of Alzheimer’s Disease descobriu que a suplementação de ácidos graxos ômega 3 melhorou a função cognitiva em ratos; a suplementação com ácido graxo também diminuiu a quantidade de perda neuronal, principalmente em animais do sexo feminino.

6 – Ajuda a reduzir inflamações

Estudos preliminares sugerem que o ômega 3 pode ajudar a melhorar os sintomas de osteoartrite e dores nas articulações. A doença inflamatória intestinal também pode ser aliviada com a suplementação de ômega 3.

Atualmente, como as pessoas não aumentam a ingestão de ômega 3 para equilibrar os ômega 6 elevados que consomem regularmente, houve um ataque de doenças crônicas e processos inflamatórios.

Ao reduzir a inflamação, que é a raiz da maioria das doenças, (com óleo de alga ou suplementos de ômega 3), o corpo entra em um estado propício para a cura dessas doenças e outras condições de saúde.

Uma destas inflamações é osteoartrite, que ocorre quando a cartilagem entre as articulações se desgasta, causando inflamação e dor. Este tipo de artrite geralmente ocorre nas articulações que mais usamos como joelhos, quadris, coluna e mãos. Ao reduzir a inflamação nas articulações, o óleo de alga pode servir como uma cura natural da artrite e pode reduzir significativamente o inchaço e a dor.

Outra condição que pode ser tratada naturalmente com óleo de algas é a doença inflamatória intestinal, que geralmente causa sintomas severos, como diarreia ou ulceração do trato digestivo. Esta doença muitas vezes pode estar relacionada a uma série de outras condições de saúde, incluindo colite ulcerativa, doença de Crohn e síndrome do intestino permeável. O óleo de algas pode reduzir a inflamação no trato gastrointestinal e servir como um tratamento alimentar.

Como consumir ômega 3 de algas ou peixes?

algas-conheca-seus-beneficios-4

Eles podem ser encontrados em forma de cápsulas. Se você optar por suplementos ômega 3 com óleo de peixe, certifique-se de que ele seja livre de metais tóxicos, certo?

Além disso, ao escolher um suplemento, busque por uma empresa idônea e responsável e preste atenção no rótulo: o ideal é optar por produtos com alta concentração de EPA e DHA que possam suprir o mínimo da concentração diária recomendada para sua saúde. Estes ativos devem ser obtidos através de bons suplementos, pois somente eles poderão proporcionar benefícios para seu corpo.

Essa é uma grande preocupação da Vital Âtman: oferecer produtos de excelência para que você tenha segurança e se beneficie dos nutrientes presentes nas composições dos suplementos.

Você imaginou que o óleo de algas poderia trazer tantos benefícios? Então passe esse conteúdo para seus amigos e familiares, afinal compartilhar saúde é Vital!

Referências:
draxe.com
sfh.com
precisionnutrition.com/all-about-algae
health/medical/altmed/supplement/omega3-fatty-acids

A Vital Âtman não indica a automedicação e a interrupção de qualquer tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Para que as ações destes importantes nutrientes sejam bem aproveitadas, recomendamos uma dieta equilibrada, rica em Legumes, verduras e Frutas, evitando alimentos ultra processados, de acordo com as orientações do Novo Guia Alimentar.

Para começar a obter os efeitos desejados, recomendamos o consumo por um período mínimo de 3 meses.

 

Como escolher um bom ômega?

A grande missão da Vital Âtman é promover a saúde

Baixe gratuitamente o e-book: Como escolher um bom ômega?

Baixe nosso E-book grátis