Se você sofre com doenças causadas por fungos, sabe como elas são desagradáveis: frieiras, candidíase e manchas na pele são alguns dos sintomas causados por eles.

Até a década de 1940, havia poucos cremes antifúngicos disponíveis para o tratamento de infecções fúngicas.

A maior descoberta, ignorada na época, foi feita em 1970, enquanto se estudava a deficiência de biotina em animais e micróbios.

Nessa época, o pesquisador Vanden Bossche, observou que um composto orgânico tinha uma propriedade antifúngica em leveduras de cândida.

A partir daí aconteceu um grande avanço no desenvolvimento de antifúngicos, embora seu uso estivesse associado a efeitos colaterais tóxicos.

A busca contínua por antifúngicos novos e menos tóxicos levou à descoberta dos azóis (compostos orgânicos), com o lançamento do primeiro produto no início dos anos 80.

No entanto, na década de 1990, foram feitas novas descobertas: o fluconazol e itraconazol, que atualmente tratam um espectro mais amplo de atividade antifúngica.

Os avanços não param: atualmente novos estudos estão sendo feitos para melhorar ainda mais o efeito dos antifúngicos contra patógenos resistentes, mas independentemente disso, substâncias naturais são usadas por muitas pessoas como antifúngicos com ótimos resultados.

Conheça quais são e como agem:

1 – Óleo essencial de orégano prensado a frio

oito-substancias-naturais-antifungicas-que-voce-precisa-conhecer

O óleo de orégano é um poderoso auxiliar antibiótico a base de plantas. O “Journal of Medicinal Food” publicou um estudo que mostrou os efeitos do óleo de orégano em fungos causados por bactérias. Foram descobertas propriedades antibacterianas significativas contra cinco espécies de bactérias nocivas.

Mas por que o orégano é tão bom? O óleo de orégano contém 71% dos compostos antissépticos conhecidos como fenóis, incluindo timol e carvacrol.

O carvacrol é multifuncional, além dos fungos, ele pode ajudar a reduzir e até reverter problemas de saúde comuns como: infecções bacterianas, parasitas, vírus, inflamações, alergias, tumores, indigestão e cândida.

Já o timol, atua como um fungicida natural com propriedades antissépticas e antivirais. Ele atua no sistema imunológico ajudando a combater e prevenir resfriados e gripes e auxilia na recuperação destas doenças.

2 – Óleo de coco

oito-substancias-naturais-antifungicas-que-voce-precisa-conhecer-1

O óleo de coco é conhecido por suas propriedades benéficas à saúde incluindo a melhoria do sistema imunológico.

No caso de fungos, o óleo de coco prensado a frio pode proporcionar grandes benefícios.

A levedura e o fungo existem em todas as membranas e mucosas do corpo, em particular nos intestinos.

O problema acontece quando há ingestão excessiva de açúcar, estresse ou fraqueza geral do sistema imunológico, o que pode causar o crescimento de fungos.

O óleo de coco contém ácidos graxos de cadeia média que agem contra os fungos. Estes ácidos têm efeitos antivirais, antibacterianos e antifúngicos que podem combatê-los.  

3 – Iogurte e probióticos

A vagina é o lar de numerosos micróbios benéficos que mantêm os causadores de doenças, como a Candida albicans, sob controle.

Quando algo, como antibióticos ou hormônios, perturba esse equilíbrio delicado, as leveduras crescem fora de controle.

O uso de iogurte ou alimentos probióticos, como a bebida kombucha, são substâncias que agem contra infecções vaginais por fungos, com o objetivo de restaurar a população de bactérias benéficas da vagina.

De acordo com estudos do HaEmek Medical Center, em Israel, a ingestão regular de bactérias benéficas é muito útil para o corpo.

4 – Alho

oito-substancias-naturais-antifungicas-que-voce-precisa-conhecer-2

Numerosos estudos mostraram que os benefícios do alho incluem propriedades antifúngicas.

Ele se mostrou mais eficaz, por exemplo, contra o pé de atleta do que medicamentos prescritos para isso.

De acordo com um estudo publicado no New York Times, um composto do alho conhecido como “ajoene” é especialmente eficaz contra o fungo que causa este tipo de micose.

5 – Óleo de melaleuca

Óleos de “tea tree” se mostraram eficientes contra vários tipos de cândida em numerosos estudos.

Em um deles, foi usado o óleo da árvore através do método microbroth (usado para a pesquisa e comprovação de um determinado conteúdo).  A mesma preparação foi testada em uma infecção vaginal experimental usando cepas sensíveis ou resistentes ao fluconazol-itraconazol de Candida albicans.

O óleo de melaleuca mostrou-se ativo in vitro contra todas as cepas testadas e foi muito bem-sucedido em acelerar a eliminação de cândida da vagina de ratazanas experimentalmente infectadas.

Outros estudos, publicados no “Journal of Antimicrobial Chemotherapy”  relataram o término da infecção, independentemente de a cepa infectante da Candida albicans ser suscetível ou resistente ao fluconazol.

6 – Óleo de endro

O óleo de endro tem sido usado na medicina ayurvédica desde os tempos antigos. Ele possui propriedades antibacterianas com ação antifúngica.

O óleo essencial extraído das sementes de endro (Anethum graveolens L.) tem a capacidade de romper a barreira de permeabilidade da membrana plasmática, o que pode ajudar a eliminar bactérias causadoras de fungos.

Esta foi a conclusão de um estudo da Wuhan University, na China.

7 – Elimine alimentos com açúcar

oito-substancias-naturais-antifungicas-que-voce-precisa-conhecer-3

A redução do açúcar e dos carboidratos refinados pode reduzir bastante a infecção por fungos. A razão para isso é que a levedura se alimenta de açúcar, fermentando-a para produzir álcool na forma de etanol e um acetaldeído químico ainda mais tóxico.

Quando você reduz a quantidade de açúcar em sua dieta, você diminui a fermentação no intestino.

O melhor é evitar alimentos processados e açúcares de todos os tipos, queijos, bebidas alcoólicas, cogumelos e carnes processadas.

Coma grãos e legumes ricos em carboidratos com moderação. Concentre-se em vegetais crus ou levemente cozidos no vapor e carnes magras.

8 – Ácido caprílico

O ácido caprílico contém propriedades antibacterianas, antivirais e antifúngicas. Ele tem a capacidade de estimular o sistema imunológico e é comumente usado como ingrediente em fungicidas tópicos.

O ácido caprílico ajuda a reduzir naturalmente o crescimento das leveduras dentro do trato gastrointestinal, para que as bactérias benéficas possam se proliferar.

Se ingerido por via oral, é completamente natural, ajudando a prevenir um desequilíbrio entre as várias bactérias.

Como você viu existem várias alternativas naturais no combate aos fungos. Então, para evitar o incômodo causado por eles, tenha uma boa alimentação, isso ajuda a fortalecer o sistema imunológico.

Se você gostou deste conteúdo repasse-o aos seus amigos, pois compartilhar saúde é Vital.

Referências
ncbi.nlm.nih.gov
well.blogs.nytimes.com
pubs.acs.org
academic.oup.com
draxe.com