Você sabia que o DHA presente nas algas pode “viajar” pela cadeia alimentar? Saiba como ingerir esta substância através de alimentos como peixes e carnes.

Lembra da expressão “cadeia alimentar” das aulas de biologia? Ótimo, pois, agora você vai saber como o DHA, presente nas algas, pode ser ingerido por você através deste processo e como este nutriente pode beneficiar a sua saúde.

DHA significa ácido docosaexaenoico e é um ácido graxo ômega 3 essencial para o desenvolvimento humano e da saúde.  Este nutriente ajuda o bom desenvolvimento fetal e também na formação da retina dos olhos. Além disso, o DHA possui ação antioxidante e é o ácido graxo mais benéfico para a saúde do cérebro, já que favorece a cognição e as conexões entre os neurônios, beneficiando a memória, atenção, raciocínio, imaginação, juízo e diversos outros aspectos relacionados à nossa mente.

importancia-do-dha-na-cadeia-alimentar1

Como o peixe é a fonte mais rica de DHA na dieta humana, a baixa ingestão deste nutriente é preocupante (os peixes mais ricos em DHA são o salmão nativo – não o de cativeiro, cavala, sardinha, o arenque e a anchova).  Muitos adultos não ingerem a quantidade necessária de peixe, e as crianças demoram para pegar o gosto por este alimento.
A boa notícia, é que a agricultura pode ajudar a  reverter esta crise de saúde pública de forma natural, sustentável e sem agredir os animais. Mas como? É simples: “pegando carona” na cadeia alimentar.

Vamos explicar:  sabemos que as algas são ricas em DHA e que os peixes se alimentam delas. Em razão disso, grandes quantidades DHA são encontradas em seus tecidos. Uma vez que os animais (como o boi, porco e frango) recebam alimentos que contém estes ácidos graxos, é possível enriquecer as carnes e os ovos para aumentar a quantidade de DHA na dieta humana. Além disso, os animais também são beneficiados pela ingestão do DHA.
Então, para que o DHA chegue até você, basta consumir peixes ou animais que contém DHA proveniente das algas.

importancia-do-dha-na-cadeia-alimentar3

Mas infelizmente, a escassez de peixes oleosos levou a uma diminuição do teor de DHA nestes alimentos vendidos nos supermercados.  Estudos revelam que, atualmente, a dieta dos norte-americanos, por exemplo, é deficiente nesse tipo de nutriente. Os cientistas acreditam que isso se deve à mudança nos padrões de alimentação que não incluem alimentos que contêm ômega 3 como linho,  nozes, folhas verdes, chia, peixe e algas.
Por isso você pode complementar sua ingestão de DHA através de suplementos, que são fáceis de incorporar à sua dieta e de ingerir.

importancia-do-dha-na-cadeia-alimentar4

Dados indicam que suplementar a dieta com até 2 gramas de óleo de algas por dia, eleva significativamente os níveis sanguíneos de DHA. Esta dose também pode ajudar a baixar os triglicerídeos sanguíneos, aumentar o HDL, controlar a inflamação e baixar a pressão arterial e a frequência cardíaca.

Outra vantagem, é que o óleo de algas é mais concentrado em DHA e, portanto, é melhor para o metabolismo humano.
Além do DHA as algas podem absorver e conter minerais marinhos como iodo, magnésio, potássio, cálcio e magnésio. O consumo de iodo a partir de fontes alimentares, como as algas marinhas, é essencial para a manutenção de uma boa saúde, particularmente para a tireoide.

Então, que tal inserir mais peixes na sua dieta? Se preferir, você pode obter o DHA através de suplementos, assim você terá inúmeros benefícios para sua saúde.

Gostou dessas informações? Compartilhe com seus amigos 🙂 Compartilhar conhecimento, é Vital!!!

Referências:
http://www.alltech.com/blog/posts/our-food-chain-blindly-starving-us-essential-dha-how-avert-public-health-crisis-algae
http://www.precisionnutrition.com/all-about-algae